quinta-feira, Novembro 18, 2010

Dicas para fazer uma boa Exposição Oral...

Escola Secundária de Francisco Franco


10º Ano/Oral Reflectido/Novembro/Dezembro 2010


COMO PREPARAR E FAZER UMA BOA EXPOSIÇÃO ORAL?





A exposição oral é um dos exercícios de expressão mais praticados na maior parte das aulas. Contudo, também é frequente realizá-la no quotidiano, para partilhar informação.
Seja para expor ideias acerca de determinado tema, para apresentar factos ou situações ou para organizar a informação obtida num trabalho de pesquisa, os alunos dirigem-se aos restantes elementos da turma, num tom mais académico e objectivo, com o propósito de transmitir informação útil.
A exposição de um tema é, assim, o desenvolvimento do seu conteúdo face a um público ouvinte. Há que considerar dois aspectos: o conteúdo e o modo de transmiti-lo.



1. Como preparar uma exposição?


A preparação implica:

definir os objectivos essenciais da apresentação, através do estabelecimento de algumas ideias essenciais;

preparar a intervenção, procurando informação necessária na obra lida, noutros livros, em experiências vividas por si ou pelos outros…, revistas, dicionários, enciclopédias, etc. (recorrer aos tópicos do guião já dado…);

enquadrar a apresentação no tempo disponibilizado;

introduzir, sumariamente, o assunto a expor (apresentado de forma apelativa o tema e o plano global da exposição);

organizar os dados de forma lógica e adequada ao público-alvo;

sintetizar os aspectos enunciados;

concluir a apresentação, fazendo a síntese das ideias, aspectos ou argumentos principais;

verificar se a mensagem foi apreendida.



2. Técnicas a utilizar

Durante a exposição oral é importante:

pronunciar com clareza e entoar correctamente as frases;

evitar a leitura integral dos registos, procedendo apenas à consulta pontual dos dados;    IMPORTANTÍSSIMO!!!

desenvolver o tema sem divagações que possam dispersar a atenção dos ouvintes;

fazer uma adequada distribuição do espaço, dominando-o visual e oralmente;

modelar o tom de voz de modo a tornar o discurso mais vivo e interessante;

gesticular de forma significativa e equilibrada;
ter uma postura correcta, olhando de frente os ouvintes.



3. Material de apoio


Pode, como apoio, recorrer ao retroprojector, a acetatos,  a imagens, a cartazes e ao leitor de cd’s.



4. Alguns conselhos:


procure chegar cedo ao local da sua apresentação, de modo a ter tempo para verificar se o material que vai utilizar está operacional;

não se esqueça que o que vai apresentar tem de ser visto, ouvido e entendido por todos;

Tenha sempre presente que:

o gesto une-se à voz, prestando-lhe uma valiosíssima colaboração. Todo o corpo se expressa quando fala. As mãos e o olhar constituem meios de reforços expressivos. Assim, tal como não se deve gritar ao falar, também não se deve exagerar os gestos e posturas corporais ao ponto de dar à fala um tom teatral.

o ritmo e a entoação que se dá às palavras influem muito na eficácia e no impacto da comunicação. Uma fala monótona, sem pausas, cria fadiga ao ouvinte e impede-o de entender o que se diz. Por outro lado, um tom variado, agradável, com as necessárias pausas, aumenta a capacidade
persuasiva do discurso.

uma voz serena, clara e bem modulada permite que o ouvinte siga o discurso com maior facilidade, atenção e, porventura, atracção.


Fonte, com algumas adaptações:

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu post será apresentado após análise do seu conteúdo.